Buscar
  • portalparvati

Religião, espiritualidade e autoconhecimento

Você já se perguntou qual a diferença entre religião, espiritualidade e autoconhecimento? Já o observou dentro de você como essas três áreas da vida se relacionam e o que de fato te acrescentam? Aqui vamos falar um pouco sobre cada uma delas e como se diferenciam uma da outra.

Religião (do latim religio, u-onis) é um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões demundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com espiritualidade e seus próprios valores morais. Muitas religiões têm narrativas, símbolos, tradições e histórias sagradas que se destinam a dar sentido à vida ou explicar a sua origem e do universo. As religiões tendem a derivar a moralidade, a ética, as leis religiosas ou um estilo de vida preferido de suas ideias sobre o cosmos e a natureza humana. Ou seja, na prática, a religião está sempre associada à uma instituição, que determina um conjunto de regras e diretrizes a serem seguidas para que se alcance a comunhão e/ou comunicação com a fonte espiritual à qual se devotam. É, portanto, relacionada à uma instituição política que dita o manual de conduta para que se siga àquela linha espiritual. É como se, na religião, encontrássemos uma cartilha pronta de como se libertar ou como ser uma pessoa boa, como agir, o que fazer ou o que não fazer.

A palavra religião é muitas vezes usada como sinônimo de ou sistema de crença, mas a religião difere da crença privada na medida em que tem um aspecto público. A maioria das religiões tem comportamentos organizados, incluindo hierarquias clericais, uma definição do que constitui a adesão ou filiação, congregações de leigos, reuniões regulares ou serviços para fins de veneração ou adoração de uma divindade ou para a oração, lugares (naturais ou arquitetônicos) e/ou escrituras sagradas para seus praticantes.

Espiritualidade ainda é um conceito muito confundido com religiosidade, mas na verdade um não está diretamente ligado a outro. A religiosidade pode ser a sua espiritualidade, mas esta não precisa, necessariamente, ser conectada a nenhum tipo de religião. Para entender bem o termo espiritualidade, é necessário distingui-lo de religião. O conceito de religião refere-se ao aspecto institucional e doutrinário de determinada forma de vivência religiosa. Define-se por determinadas crenças e ritos referidos ao indivíduo e entendidos como meios que oferecem salvação.

Espiritualidade é algo pessoal, não tem regras exteriores e normas de conduta pré estabelecidas para acessar a espiritualidade. Nasce do interior de cada um, é a ligação que cada pessoa possui e desenvolve entre o Eu pessoal e o Divino. Algo que nasce de dentro, mas pode ter ligação e espelhamento à uma forma de energia externa, à devoção. A espiritualidade manifesta-se como religiosa, quando essa transcendência repercute de tal forma na transformação da vida da pessoa que o experimentado não se explica apenas por forças contidas na interioridade da pessoa, mas é sentido como a presença de um absoluto, identificado como Deus. Essa forma de espiritualidade é também chamada de mística.

Portanto, a espiritualidade e a religiosidade caracterizam-se pela dimensão essencialmente experiencial, enquanto que a religião está calcada no aspecto institucional e doutrinário. A religiosidade, poderia ser entendido também como a expressão da própria espiritualidade, que está relacionada resumidamente com o aspecto positivo da vida humana, a luz, o bem, o belo, a perfeição. Sendo espelhada, apesar de estar originalmente conectada ao mundo interior, à fatores externo, sendo muitas vezes projetada em uma figura de autoridade, professores, mestres, gurus, ou até na própria natureza.

O autoconhecimento é algo interno, onde engloba ver a realidade como ela é, na integração da luz e da sombra. Como o próprio nome já diz, faz jus ao processo de compreender a si próprio e à própria existência interna que dialoga com o mundo externo. O autoconhecimento abraça a espiritualidade e a complementa. Trazendo a espiritualidade para mais próximo da matéria e da dualidade do Ser Humano. Sendo base para ações sólidas de desenvolvimento. Também, podemos dizer que, naturalmente o autoconhecimento nos aproxima da espiritualidade em seu sentido mais pessoal e puro, sem a chamada espiritualidade mística que abarca as experiências relacionadas com forças exteriores ao próprio indivíduo. Quanto mais nos conhecemos integralmente, mais a possibilidade de conexão verdadeira com o mundo que nos cerca, e todos os seres que nele vivem.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo